Conhecimento Náutico

Soluções para Defeitos de Pintura com Tintas Líquidas

Conheça abaixo os mais recorrentes defeitos de pintura bem como suas causas e soluções para lhe ajudar no seu dia a dia.

 

Casca de Laranja

Superfície irregular, semelhante a uma casa de laranja (espessura não uniforme, micro relevos).

 

 

  • Uso de diluentes não recomendados;
  • Regulagem inadequada da pistola;
  • Clima quente durante a aplicação da tinta;
  • Inabilidade do aplicador;
  • Não respeitar os intervalos entre demãos quando aplicada em mais de uma demão;
  • Alta viscosidade da tinta (diluição inadequada);
  • Velocidade de aplicação e distância entre a pistola e a superfície incorreta;
  • Desequilíbrio entre a pressão de ar e volume de tinta durante a aplicação.

 

 

  • Ajustar corretamente a viscosidade de aplicação da tinta;
  • Utilizar diluente recomendado conforme boletim técnico/etiqueta;
  • Se necessário, remover totalmente o filme aplicado ou lixar o filme removendo as imperfeições;
  • Conferir o posicionamento da pistola e manter distância da peça em no máximo 25 cm;
  • Treinamento ao aplicador;
  • Respeitar intervalos entre demãos conforme boletim técnico.

 

 

Cratera (Olho de peixe)

Formação de pequenas cavidades arredondadas na área onde a superfície foi pintada. Demonstra forma profunda ou superficial.

 

  • Ausência de purgadores e filtros de ar provocando contaminação no ar comprimido;
  • Superfície contaminada com óleos, graxas, cal e etc.;
  • Local de pintura infectado por silicones;
  • Uso de anti-respingos e desmoldantes a base de silicone em áreas próximas a pintura;
  • Falta de homogeneização da tinta;
  • Umidade inadequada no ar comprimido;
  • Desequilíbrio entre a pressão de ar e volume de tinta durante a aplicação.

 

 

 

  • Instalar purgadores e filtros na rede de ar comprimido que alimenta o setor de pintura;
  • Fazer a descontaminação total da superfície;
  • Depois da tinta seca, deve-se lixar removendo as imperfeições, nivelando a superfície. Após isso, repintar conforme especificação técnica;
  • Efetuar a purga do compressor com certa frequência;
  • Eliminar anti-respingos e desmoldantes a base de silicone dos locais de realização de solda.

 

 

 

Descascamento / Descolamento

Falta de Aderência entre a película da tinta e o substrato ou entre demãos. Podendo ocorrer de forma parcial ou total de forma espontânea ou provocada.

 

  • Incompatibilidade entre tintas;
  • Superfície contaminada com óleos, graxas, cal ou partículas sólidas;
  • Substrato com alto índice de umidade;
  • Pintura sobre superfície quente;
  • Reação da tinta com o substrato em compostos solúveis em água;
  • Baixa rugosidade do substrato;
  • Não respeitar os intervalos entre demãos;
  • Contaminação da superfície entre demãos;
  • Uso de tintas inadequadas para determinados tipos de substratos (ferro, alumínio, fibra, etc.);
  • Contaminação da superfície a ser pintada após a limpeza.

 

  • Depois da tinta curada, deve-se remover o filme que não esteja firmemente aderido, nivelando a superfície. Após isso, repintar conforme especificação técnica;
  • Melhorar o perfil de rugosidade;
  • Verificar possíveis pontos de contaminação no manuseio da peça;
  • Controlar a viscosidade de maneira a garantir uma tensão superficial baixa para uma completa umectação da superfície;
  • Fazer limpeza superficial;
  • Avaliar a temperatura do substrato e o tipo de tinta a ser utilizada antes da aplicação;
  • Utilizar tinta adequada ao substrato ou promotor de aderência;
  • Respeitar intervalos entre demãos conforme boletim técnico.

 

 

Empolamento (Bolhas)

Defeito estrutural de película, caracterizado pelo aparecimento de saliências que variam de tamanho e intensidade.

 

  • Superfície mal preparada ou oleosa;
  • Uso de tinta muito porosa (inadequada ao ambiente);
  • Superfície contaminada com óleos, graxas, cal, etc.;
  • Uso de diluente de evaporação rápida;
  • Solvente retido no substrato devido à secagem rápida da tinta;
  • Contaminantes entre demãos de tintas ou no substrato;
  • Encapsulamento de ar na tinta devido processo de mistura e preparação;
  • Processo de aplicação que envolve bombeamento (esguicho);
  • Excesso de umidade no substrato ou ambiente;
  • Formação devido ao processo de osmose quando em contato com água salgada;
  • Desequilíbrio entre a pressão de ar e volume de tinta durante a aplicação.

 

  • Eliminar a umidade no substrato;
  • Controlar a umidade relativa do ar durante a aplicação;
  • Se necessário remover toda a película;
  • Fazer limpeza superficial;
  • Utilizar diluentes recomendados e aplicar espessuras conforme recomendação no boletim técnico;
  • Depois da tinta seca, deve-se lixar removendo as imperfeições, nivelando a superfície. Após, repintar conforme especificação técnica;
  • Quando o tratamento de superfície for próximo a orla marítima (maresia), lavar com água doce entre demãos.

 

 

Enrugamento

Pequenas rugas na superfície ou encolhimento na película de tinta aplicada, parcial ou em toda a superfície, similar ao aspecto de um tecido amassado.

 

 

  • Aplicações de tintas com excesso de espessura;
  • Utilização de tintas epóxis ou PU sobre tintas sintéticas;
  • Não respeitar os intervalos entre demãos;
  • Secagem superficial muito rápida;
  • Uso de diluentes não recomendados;
  • Aplicações de tintas sobre superfícies aquecidas.

 

 

  • Fazer a diluição corretamente;
  • Utilizar o diluente recomendado conforme boletim técnico;
  • Remover toda película;
  • Aplicar espessura recomendada conforme boletim técnico;
  • Depois da tinta seca, deve-se lixar removendo as imperfeições, nivelando a superfície. Em seguida, repintar conforme especificação técnica;
  • Se necessário, remover toda película;
  • Não aplicar tintas epóxis e PU sobre tintas sintéticas;
  • Usar diluente recomendado conforme boletim técnico/etiqueta.

 

 

 

Escorrimento

Em superfícies verticais as tintas tendem, por ação da gravidade, a se descolarem enquanto líquidas, em forma de ondas ou gotas, até a parte inferior.

 

 

 

  • Utilização de diluentes não recomendados;
  • Falta de homogeneização;
  • Excesso de camadas de tinta (película muito grossa);
  • Excesso de diluição da tinta;
  • Não respeitar os intervalos entre demãos;
  • Inabilidade do Pintor.

 

 

  • Utilizar o diluente recomendado conforme boletim técnico / etiqueta;
  • Após secar, lixar as partes afetadas removendo as imperfeições, buscando nivelar a superfície e repintar conforme especificação técnica;
  • Boa homogeneização da tinta;
  • Treinamento do aplicador;
  • Aplicar espessuras recomendadas de filme úmido conforme boletim técnico;
  • Respeitar intervalos entre demãos conforme boletim técnico;
  • Ajustar a viscosidade conforme orientação do departamento técnico.

 

 

Fervura

Aparecimento de uma grande quantidade de pequenas bolhas em toda superfície ou parte dela, podendo ou não apresentar um pequeno orifício central.

 

  • Aplicação em superfícies quentes;
  • Utilização de diluentes não recomendados;
  • Tinta não recomendada para aplicação;
  • Espessura muito alta na aplicação;
  • Temperatura do ambiente alta;
  • Solvente com rápida evaporação;
  • Não respeitar os intervalos entre demãos;
  • Necessidade de Flash Off (espera ao ar livre antes de colocar na estufa).

 

 

  • Utilizar diluente recomendado pelo fabricante;
  • Depois da tinta seca, deve-se lixar as partes afetadas fazendo uma melhor preparação de superfície. Após isso, repintar conforme especificação técnica;
  • Respeitar intervalos entre demãos conforme boletim técnico;
  • Aplicar espessura recomendada conforme boletim técnico;
  • Quando a secagem for em estufa, diminuir a temperatura e aumentar o tempo de secagem;
  • Controle da temperatura na superfície do substrato:

– Tintas em geral: temperatura máxima do substrato 52°C.

– Etil Silicato: temperatura máxima do substrato 40°C.

  • Verificar se a tinta é recomendada para aplicação;
  • Durante a aplicação por rolo, algumas tintas podem apresentar a formação de bolhas. Recomenda-se realizar passes repetitivos sobre a mesma, logo após a pintura, visando sua eliminação.

 

 

Gretamento ou Craqueamento

A superfície pintada apresenta um aspecto similar ao de um couro de jacaré (alligatoring), apresentando fendas ou fissuras.

 

 

 

  • Película pastosa por retenção do diluente devido a secagem superficial rápida;
  • Diluição inadequada;
  • Aplicação com alta camada de tintas Etil Silicato de Zinco;
  • Não respeitar os intervalos entre demãos;
  • Inabilidade do aplicador;
  • Camada muito espessa.

 

 

  • Aplicar espessura recomendada conforme boletim técnico;
  • Treinamento ao aplicador;
  • Utilizar diluente conforme recomendação do boletim técnico;
  • As tintas aplicadas devem ter características de dureza semelhantes;
  • Caso a tinta aplicada for o Etil Silicato de Zinco, remover tudo por jateamento abrasivo;
  • Respeitar intervalos entre demãos conforme boletim técnico;
  • Depois da tinta seca, deve-se lixar removendo as imperfeições, nivelando a superfície. Após isso, repintar conforme especificação técnica;
  • Seguir orientação de diluição.

 

 

Manchas nas cores metálicas

Defeito superficial da película cuja cor, tonalidade ou brilho apresentam-se diferentes do restante da superfície, ocasionando manchas na pintura.

 

 

 

  • Preparação e diluição inadequada da tinta;
  • Variação na espessura da película seca;
  • Utilização de diluentes não recomendados;
  • Regulagem inadequada da pistola ou distância insuficiente da mesma à superfície;
  • Inabilidade do aplicador.

 

 

 

  • Verificar a regulagem da pistola;
  • Utilizar apenas o diluente recomendado e recomendações de diluição especificadas no boletim técnico;
  • Controlar a espessura da camada aplicada;
  • Após secar, lixar as partes afetadas removendo as imperfeições, buscando nivelar a superfície e repintar conforme especificação técnica;
  • Treinamento do aplicador.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *